8 de julho de 2020

Como aliar o cuidado com a saúde à atividade econômica durante o Coronavírus

O Coronavírus mudou muitos aspetos da vida das pessoas, mas o que mais vem sendo discutido e tem impactado a sociedade é a volta ao trabalho. Evitar uma crise na saúde e ao mesmo tempo evitar uma crise econômica é uma discussão que surgiu desde os primeiros casos da doença e o início da quarentena. O que todos se perguntam: é possível voltar a trabalhar e não se contaminar pela doença? A resposta é sim, segundo o médico trabalhista Gilmar Finkler, desde que sejam tomados todos os cuidados e atendidas todas as recomendações do Ministério da Saúde.

Clínico geral e médico trabalhista, Gilmar Finkler já conhece de perto as rotinas de trabalho de muitas empresas de Não-Me-Toque e por isso garante que elas podem e devem seguir trabalhando, pois são capazes de seguir as recomendações de uma maneira segura para todos. “Eu acredito que as empresas devam voltar a funcionar, acredito também que não podemos parar com a economia do país, porque a volta ao trabalho de uma forma racional é bastante segura. E o que seria essa forma racional? É deixar em casa as pessoas do grupo de risco para complicações maiores e trazer de volta ao trabalho as pessoas que não têm uma complicação eminente, desde que tenha-se todos os cuidados de proteção respiratória e de higiene pessoal. O distanciamento que temos nas nossas empresas é bastante seguro e nós podemos fazer um retorno ao trabalho respeitando as normas de segurança indicadas pelo Ministério da Saúde.”

Para que isso aconteça é necessária a cooperação de todos e a atenção redobrada aos cuidados básicos de proteção e higienização pessoal. O médico Gilmar afirma que é muito importante o uso da máscara de proteção respiratória pois é uma proteção bastante eficiente para evitar a contaminação aérea da via respiratória, uma vez que ajuda a evitar que a pessoa respire algumas bactérias, impurezas ou vírus, e também previne a contaminação de outras pessoas caso o indivíduo tenha alguma coisa. Além disso, também é necessário higienizar muito bem as mãos com água e sabão. Na falta desses, usar álcool em gel e sempre que for necessário utilizar luvas de proteção. Também é preciso manter os hábitos de higiene pessoal e higiene das roupas, bem como limpar todos os equipamentos que você utiliza no trabalho e no seu dia a dia, como celulares, computadores, máquinas, carros e etc.

Apesar de ser indicado, as empresas não são obrigadas a oferecer os equipamentos de proteção contra o Coronavírus. No entanto, Gilmar destaca que em Não-Me-Toque a grande maioria tem buscado incentivar seus colaboradores a se protegerem. “Todas as empresas estão oferecendo condições para que seus funcionários tenham acesso à máscara, ao álcool em gel e às melhores condições de trabalho. Algumas fazem coisas a mais, outras não, mas a gente vê uma preocupação muito grande das empresas do nosso Município em proteger muito bem os seus funcionários.”

Além da máscara, álcool em gel, luvas e cuidados com a higiene, há outras formas de proteção, como o diálogo com a equipe e a informação correta. De acordo com o médico trabalhista Gilmar Finkler, é importante que as empresas busquem auxiliar na conscientização de seus colaboradores, informando e oferecendo condições para que eles mesmos se cuidem e cuidem dos seus companheiros de trabalho e os seus familiares quando voltarem para casa.

No atual momento, a maior preocupação é com a saúde e a segurança, por isso é essencial que todos façam a sua parte para evitar a proliferação da doença. “A segurança continua sendo uma prioridade, por isso a atenção pessoal é hoje o fator mais importante na prevenção da infecção pelo Coronavírus. Cada um tem que fazer sua parte independente se é em casa, na rua, no supermercado ou no trabalho. Se você utilizar métodos errados, você vai se expor e expor as pessoas que estão com você, cada um é responsável por si e tem que se cuidar. Se você se cuidar direitinho pode fazer as atividades de trabalho normais tendo um risco moderado e calculado”, finaliza Gilmar.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat