4 de outubro de 2019

Como combater a flacidez facial

Aparência cansada, sulcos mais proeminentes e com olheiras profundas são sinais de que a pele está perdendo sua sustentação e se tornando flácida. Ela é causada por quatro fatores: perda do tônus devido à atrofia da musculatura, perda de colágeno e elastina na pele, perda de gordura facial que promove a sustentação e processo de reabsorção dos ossos da face. Essas alterações levam a diminuição do contorno da face, deixando a mandíbula sem definição e a região malar, ou seja, as maçãs do rosto caídas.

A boa notícia é que existem inúmeros tratamentos dermatológicos para prevenir e tratar o problema e cada um age em um nível diferente, atuando diretamente na estrutura facial específica.

Os preenchimentos com ácido hialurônico promovem a sustentação facial, melhoram as linhas de expressão e os sulcos. Já os bioestimuladores de colágeno, como hidroxiapatita de cálcio e ácido poli-L-lático, também são ótimos contra a flacidez facial, têm o objetivo de estimular a produção natural de colágeno e agem na recuperação, firmeza e elasticidade da pele. Para combater o problema também podem ser utilizados lasers que auxiliam na reposição de colágeno na pele, como radiofrequência microagulhada e ultrassom microfocado. Esses lasers promovem pontos de coagulação na musculatura da face, regenerando e conferindo um tônus para o músculo.

Mas antes de realizar qualquer tratamento é necessário fazer uma avaliação com dermatologista ou cirurgião plástico, para então ser realizado um planejamento terapêutico personalizado. Confie sua pele a profissionais médicos capacitados.

*Texto escrito pela dermatologista, Alexandra Nunes

Deixe seu comentário
WhatsApp chat