30 de agosto de 2019

Como lidar com o celular e outros dispositivos tecnológicos na infância

É rotineiro. Seja qual for o momento ou ambiente, na presença de visitas ou no total isolamento, as crianças da geração atual estão progressivamente envolvendo-se mais com seus telefones celulares, tablets ou alguma outra tecnologia que substitui suas interações com os demais. Sempre é a hora de jogar, assistir vídeos etc. Mas será isso algo normal para essa faixa etária?

Em termos de desenvolvimento, a tecnologia pode ser um atraso nessa etapa fundamental da vida. As crianças têm a tendência de aprender com as interações, seja de ouvir, sentir e observar. Faz parte do aprendizado pegar o brinquedo, apertar, explorar, sentir o cheiro e morder, e os aparelhos eletrônicos não proporcionam essas experiências, eles emitem muitos estímulos sonoros e visuais ao mesmo tempo, dificultando a interpretação do mundo real da criança.

As recomendações para tornar o uso tecnológico menos prejudicial ao desenvolvimento não ignoram o momento atual, porém são um desafio para os pais, pois limitações devem ser estabelecidas. O recomendável é permitir fazer o uso de celulares apenas duas horas por dia. Ainda assim, durante o uso, é recomendável apresentar as crianças a novas ideias, como: contatos com informações educacionais, conhecer outras culturas e até serem estimuladas à leitura. Sobretudo, é importante salientar que o melhor período para fazer esse uso não é o noturno, especialmente antes de dormir, porque as luzes emitidas pelos aparelhos podem interferir na qualidade do sono.

Outra dica importante para os pais é sempre estimular os filhos a frequentar “zonas livres”, onde o uso de aparelhos tecnológicos se torne uma opção menos atrativa, como por exemplo: acompanhar os pequenos em parques, praças ou locais onde possa haver interações com outras crianças.

Também não podemos esquecer que os pais devem ser exemplos, pois as crianças nessa etapa da vida têm costume de copiar as atitudes que enxergam dos seus genitores. Então, é muito importante que os pais também se mostrem desinteressados pelo lazer ligado aos celulares, assim, além de passarem mais tempo com seus filhos, também passarão influencias mais saudáveis.

Formado em psicologia pela Faculdade Meridional – IMED de Passo Fundo, Bernardo Bender busca através do seu trabalho mostrar que a psicologia não é somente necessária quando o ser humano já está em uma situação de risco ou caos, mas sim, que ela é muito importante também para prevenir problemas que possam ser incapacitantes. Afinal, saúde mental necessita de mais atenção, preocupação e prevenção.

Bernardo busca oferecer através do seu trabalho o acolhimento terapêutico a partir do exercício da escuta, realizando intervenções clínicas voltadas ao bem-estar do paciente, fazendo o mesmo sentir-se capaz de superar barreiras e prevenir fatores que possam ser considerados agravantes para seu mal-estar.

Hoje, além de realizar atendimento clínico em seu consultório, também presta atendimento residencial para quem enfrenta alguma dificuldade ou impossibilidade de locomoção, como também realiza atendimentos virtuais para quem não reside neste município e tem preferência por assim ser atendido.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat