10 de setembro de 2018

Daniela Schneider, uma advogada que trabalha pela justiça

Toda mulher tem sonhos, faz planos e tem objetivos para sua vida. Daniela tinha o desejo de lutar pelo justo e pela pacificação dos conflitos. Foi com esses anseios que a filha de Pedro e Juraci Schneider viu no Direito a oportunidade de concretizar esse sonho.

Formada pela Universidade de Passo Fundo há quase 10 anos, Daniela sabe da importância que o direito tem na construção de uma sociedade melhor, por isso busca constantemente tornar-se uma profissional ainda mais capacitada, o que a levou a realizar especialização em Direito Público pela Faculdade Meridional – IMED. Também se formou pela Escola Superior da Magistratura Federal, além de participar constantemente de diversos cursos de atualização e eventos relacionados à área jurídica.

Daniela teve a oportunidade de conhecer na prática todas as áreas do direto. “Exerci o cargo de Assessora de Juiz durante seis anos e há aproximadamente quatro anos passei a atuar como advogada. Durante o período em que trabalhei no Poder Judiciário tive contato com os mais diversos tipos de causas. Isso me proporcionou experiência suficiente para, como advogada, continuar atuando em todos os ramos do direito, com maior ênfase nas áreas de família, consumidor, previdenciário, empresarial e criminal.”

Ao citar o jurista Francesco Carnelutti, Daniela afirma que o advogado é o primeiro juiz da causa, pois é ele quem irá propor e definir a melhor forma de conduzir cada caso, visando a resolução do conflito apresentado. Para que essa análise seja realizada da maneira adequada, acredita ser necessário ter empatia, dedicação, seriedade, resiliência, ética e, acima de tudo, responsabilidade, pois na maioria das vezes a única alternativa que resta ao cliente é a justiça, cuja pretensão será materializada através do trabalho do advogado.

É com esses princípios bem fundamentados que Daniela busca sempre oferecer o melhor ao seu cliente. “Aos meus clientes procuro estar disponível, estabelecer uma relação de confiança, esclarecer todas as dúvidas, traduzir os termos jurídicos para uma fácil compreensão, apresentar todas as possíveis soluções para cada caso e, na medida do possível, buscar resolver o problema ainda na fase extrajudicial, sem necessidade de dar início ao litígio, o que acaba sendo mais rápido, satisfatório e menos oneroso.” Além disso, a advogada procura sempre entender o problema do cliente, suas angústias e dificuldades, proporcionando assim um atendimento mais humanizado e tranquilo.

Aproveitando que dia 11 de agosto foi o Dia da Advocacia, Daniela presta sua homenagem aos colegas, parabenizando aqueles que, assim como ela, escolheram seguir essa profissão que exige tanta coragem, persistência e obstinação.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat