4 de abril de 2019

Frustrações infantis: como lidar com os desejos de meu filho?

Quem já se sentiu profundamente frustrado? Algo que aconteceu de forma inesperada e que causou decepção?  Essa sensação é desagradável, porém as decepções acontecem e dificilmente conseguimos escapar delas. Então, como lidar com a realidade que não está de acordo com o que se esperava?

Os primeiros contatos que o ser humano tem com a frustração acontecem muito cedo, ainda na infância, quando nossos pais não satisfazem todos nossos desejos. Esses momentos na vida da criança por mais que sejam difíceis serão muito importantes para prepará-la emocionalmente para as decepções que virão durante sua vida.

Quem já presenciou situações em que a criança se desespera e fica inconformada quando perde num jogo ou não pode comprar um brinquedo? Quando pequena, a criança tem muita dificuldade em frustrar-se, principalmente em brincadeiras e jogos, muitas vezes chega a trapacear sua frustração de forma intensa. E é nesses momentos que entra em questão o uso das regras e dos limites, que quando bem internalizados a auxiliarão a viver bem durante toda a sua vida.

Nos dias de hoje, frustrar-se parece ter perdido espaço na vida social e familiar. O imediatismo do mundo atual está modificando a forma como lidamos com a frustração, geralmente com pouca tolerância esperando que as coisas venham prontas e do nosso jeito. As crianças vendo como os adultos reagem a isso, crescem nesse contexto e também são influenciadas por esse meio.

Lidar somente com a frustração infantil parece mais fácil, mas quando todos da família estão envolvidos a situação parece complicar. Geralmente se faz um movimento de substituir a PERDA e não se encarar ela. Assim, os adultos acabam passando para a criança a mensagem que é possível dar um jeitinho, quando nem sempre é.

Festas de fim de ano, férias, volta às aulas, tudo isso pode ser encarado criativamente, dentro das possibilidades. Saber lidar com a praia que não houve, a mochila que não está de acordo com as expectativas, pode ser algo muito valioso daqui para frente. Aprender a superar as decepções e falar sobre elas é um exercício que colabora com a maturidade e nos torna mais fortes. Quanto mais cedo aprendemos a lidar com as perdas, mais tolerantes nos tornaremos.

Abra o coração, papai e mamãe, a frustração pode ser assunto em família. Temos duas possibilidades: ser feliz e grato pelo que se tem, fazer planos e lutar por eles dentro das possibilidades; ou continuar sofrendo, substituindo, se escravizando por algo que não aconteceu. A vida pode fluir naturalmente, com mais alegria e espontaneidade se soubermos aproveitar o que ela nos oferece.

 

 

 

Matéria escrita pela Eliane Birk Schuster

Psicóloga e Psicopedagoga

Deixe seu comentário
WhatsApp chat