30 de abril de 2019

José Paulo Warken, um empreendedor reconhecido pelo foco e pela persistência

Antes de se tornar esse polo industrial e do agronegócio que é hoje, Não-Me-Toque já foi uma típica cidade interiorana, sem muitas opções de trabalho e de crescimento. Isso fez com que muitas pessoas deixassem a cidade e fossem em busca da realização profissional fora daqui. Apesar da necessidade imposta pelas poucas oportunidades, deixar Não-Me-Toque foi muito difícil para José Paulo Warken, que até hoje leva a sua cidade natal no coração.

José Paulo Warken nasceu em 1º de maio de 1947, morava em São José do Centro, interior de Não-Me-Toque, com seus pais Aloysio e Rosa Bárbara Warken e nove irmãos. Naquela época, a vida aqui na cidade era muito difícil, as opções de trabalho eram poucas e as de estudos eram menores ainda. “Há 60 anos, a vida em Não-Me-Toque era muito pacata e tranquila, o trabalho se limitava a cultura de subsistência. A atividade social e cultural limitava-se à escola primária e aos domingos frequentar a igreja. Vida muito simples e de limitações financeiras acentuadas. Em uma família numerosa de 10 irmãos, a preocupação com o futuro era uma constância. Tinha consciência que Não-Me-Toque não me ofereceria perspectivas de crescimento, pois não havia indústrias e os empregos limitavam-se aos trabalhos de peão de granja onde a exploração era a regra”, lembra Paulo.

Devido ao cenário da época e pressionado pela necessidade de procurar novos horizontes, Paulo, como é chamado, saiu da zona de conforto e foi em busca de outras oportunidades fora de Não-Me-Toque.  Com 16 anos mudou-se para Novo Hamburgo, onde foi acolhido pela sua irmã e seu cunhado, que deram apoio a ele nessa nova aventura. Foi necessário muita coragem para enfrentar um novo mundo. Naquela época, sair de casa e deixar para trás sua família era uma aposta de tudo ou nada.

Quando Paulo mudou-se para Novo Hamburgo, a cidade estava explodindo economicamente, com muitas oportunidades de emprego e de crescimento. “Novo Hamburgo tinha oferta de emprego em abundância, oportunidade de estudar à noite, vida social e cultural florescendo. Meu primeiro emprego foi em fábrica de calçados, trabalhava de dia e estudava à noite. E aos poucos tive a minha ascendência profissional, que ocorreu, paralelamente, à minha formação. Primeiro concluí o curso de administração e depois o curso de direito. Com isso, trabalhei, além da indústria calçadista, também no comércio, Prefeitura Municipal, INSS e, por fim, na Petrobrás.”

Diante de todas as possibilidades, acabou que Paulo fez de Novo Hamburgo sua nova casa. Em 1972 casou-se com Verna e começou a construir a sua família. Com o incentivo da sua esposa, com quem está casado há 47 anos, ele resolveu empreender e abrir a sua própria empresa no setor imobiliário. “Depois de trabalhar em outros setores, parti para a iniciativa privada, mais precisamente para o mercado imobiliário, no qual estou atuando já 44 anos, tornando-me um “case de sucesso” na cidade. Tudo isso graças ao apoio da minha esposa, que sempre foi minha grande incentivadora em todas as iniciativas empreendedoras, convencendo-me a iniciar minha trajetória como empresário do mercado imobiliário.”

Paulo tem três filhos e cinco netos, dois dos seus filhos estão dando continuidade ao trabalho na empresa da família, o que deixa Paulo muito feliz e orgulhoso ao ver que o seu sonho terá continuidade. Para o empresário, além da sua família, mudar-se para Novo Hamburgo proporcionou muitas conquistas. “Minhas maiores conquistas foram o curso e pós-graduação em administração, curso de direito, estabilidade e realização financeira, família sólida e bem estruturada, reconhecimento profissional e social tornando-me exemplo para empreendedores de qualquer setor. Prova disso são os inúmeros e constantes convites que recebo para palestras, entrevistas na mídia local e na televisão para discorrer sobre a minha trajetória de vida”, conta Paulo.

Apesar de todos os desafios que encontrou, Paulo nunca pensou em voltar para Não-Me-Toque porque soube desde o primeiro dia que lá era o seu lugar. A forma como foi acolhido e as chances que teve em Novo Hamburgo fazem com que ele seja grato a tudo o que viveu e às possibilidades que teve. Para tentar retribuir o carinho que teve em sua chegada, hoje o empresário se engaja nas iniciativas sociais da cidade.

Mesmo estando há mais de 50 anos longe de Não-Me-Toque, o empresário ainda leva consigo os valores e princípios que aprendeu aqui na cidade e emociona-se ao ver um carro com placa daqui. “Quando vejo algo sobre Não-Me-Toque vem toda uma lembrança de um passado distante, mas muito vivo dentro de mim. Minha maneira de ser e agir no círculo de amigos, na família e na minha empresa tem como base os valores e a educação recebida aí, através dos meus pais, irmãos e educadores. Eu saí de Não-Me-Toque, mas ela nunca saiu de mim”, afirma Paulo.

Ao olhar para trás e lembrar de tudo o que viveu, do que o motivou a sair da cidade e de todos os desafios que encarou longe de sua terra natal, sua família e seus amigos, Paulo descreve sua trajetória em duas palavras: foco e persistência, pois para ele foi preciso ter foco nos sonhos e objetivos e não desistir nas primeiras dificuldades.

Com a experiência de quem se arriscou e foi em busca de uma nova vida, José Paulo Warken afirma que para ter sucesso é preciso arriscar, pois o mundo é cheio de oportunidades desafiadoras e as pessoas precisam ter garra e persistência para fazer dessa oportunidade o seu sucesso pessoal e profissional. “É melhor arriscarmos na vida sujeitando-nos a grandes derrotas e grandes vitórias do que fazer fila com os pobres de espírito que não sofrem muito e não têm grandes alegrias. Não esquecendo de tratar bem as pessoas quando se está subindo, pois, numa eventual descida, é possível encontrar as mesmas”, finaliza o empresário.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat