14 de janeiro de 2019

Produção X Nutrientes

O Brasil é o 3º maior produtor agrícola mundial e 9º maior detentor de florestas plantadas do mundo. Possui 72,2 milhões de hectares plantados com culturas anuais e perenes e 172 milhões de hectares com pastagem. Diante da crescente demanda mundial por alimentos, fibras, madeira e energia, faz-se necessária a sua produção visando garantir a segurança alimentar e nutricional, além da produção de energia limpa, com o mínimo de impacto ao meio ambiente. A ciência aplicada à agropecuária por meio de técnicas modernas tem conseguido não somente aumentar a produtividade das culturas, como também reduzir os seus impactos no ambiente e aumentar a qualidade de vida da sociedade brasileira em geral.

Para o incremento da produção agrícola é necessário que os nutrientes estejam disponíveis em quantidades adequadas às plantas. Por isso se faz a aplicação de fertilizantes, pois a cada ciclo as plantas extraem nutrientes do solo e diminuem seu estoque, sendo preciso repor essa perda. Se tais nutrientes não forem repostos por meio dos fertilizantes, as plantas pouco a pouco esgotam as reservas nutricionais do solo, podendo trazer outros desdobramentos negativos, como a redução de matéria orgânica no solo, que por seu lado pode reduzir a oferta de água no solo.

O uso dos fertilizantes melhora as propriedades físicas do solo. Plantas que receberam nutrientes na quantidade adequada apresentam maior crescimento e sistema radicular mais resistente, promovendo uma maior agregação das partículas do solo. Além disso, a maior quantidade de raízes e resíduos vegetais que voltam ao solo, aumenta a matéria orgânica, melhorando a aeração do solo e as taxas de infiltração de água. Assim, a erosão, que é a perda de solo pela chuva ou vento, é reduzida, evitando o assoreamento dos rios e os prejuízos ambientais decorrentes.

 

 

Matéria escrita pelo colunista Ricardo César Warken

Engenheiro Agrônomo

Deixe seu comentário
WhatsApp chat