12 de abril de 2019

Professora Eli, uma mulher comprometida com a educação

A profissão que Eli Terezinha Xavier Donatti escolheu para a sua vida tornou-a parte do que ela é hoje, integra seu nome e também é o que a torna reconhecida. A professora Eli, como todos a chamam, completou 37 anos de atuação na educação, 37 anos de um trabalho desafiador, exigente, além de ser muito gratificante.

Eli começou a lecionar na década de 80, no interior de Não-Me-Toque. Por dois anos trabalhou na zona rural em escolas municipais até vir para a Escola Municipal de Ensino Fundamental Nossa Senhora de Lourdes, onde trabalhou por grande parte de sua carreira. O amor pela educação sempre esteve presente em sua vida, quando era aluna estudava muito e quando tornou-se professora também não parou de estudar, sempre seguiu capacitando-se e aperfeiçoando seu trabalho.

A professora Eli fez diversos cursos de capacitação e formação nas mais diferentes áreas da educação, porém nos últimos anos descobriu a sua paixão pela Educação Especial. “Depois que fiz a minha primeira especialização, em psicopedagogia, comecei a trabalhar na área psicopedagógica da Rede Municipal, na qual atuei oito anos trabalhando com os alunos com dificuldade de aprendizagem, o que me motivou a ler e buscar capacitações voltadas à educação especial. Em 2013, quando retornei para a Rede Estadual, iniciei o meu trabalho Atendimento Educacional Especializado, na Sala de Recurso Multifuncional da Escola Solano. Trabalhei atuando quatro anos especificamente na área de Educação Especial, na perspectiva da educação inclusiva”, conta Eli.

Para Eli, os desafios da educação vão mudando conforme a sociedade vai se modificando. Segundo a professora, quando ela começou na década de 80 encarou desafios que hoje não existem mais, mas que agora a educação vive desafios diferentes. Para ela, o maior deles é conseguir oferecer uma boa educação inclusiva, na qual todos consigam avançar na construção do conhecimento. Além disso, ela destaca também as dificuldades entre estabelecer relações interpessoais nas escolas, sejam elas aluno-professor, escola-famílias ou até mesmo entre os próprios alunos.

Eli é professora, já foi vice-diretora, diretora e hoje é a Secretária Municipal de Educação do Município de Não-Me-Toque, cargo esse que ela nunca almejou, mas acabou trazendo a realização e reconhecimento da comunidade. Por ter se tornado professora na educação pública e acreditar que a mesma pode fazer grande diferença na vida das pessoas, hoje a professora realiza um trabalho muito comprometido com a qualidade da educação da Rede Municipal de Ensino.  “Quando eu recebi esse convite da administração municipal, fiquei surpresa e precisei pensar muito antes de aceitar. É um desafio muito grande, mas que encaro com comprometimento e seriedade, nenhuma ação é tomada sem pensar. Hoje na gestão educacional há muitas coisas que a gente consegue em curto prazo e muitas que a gente não consegue. E para mim, se os benéficos ou conquistas não chegarem até a sala de aula, o trabalho não está completo, algo deve ser melhorado.”

Ser professora é o que Eli sabe fazer de melhor e, para ela, nada supera a alegria de ver o sucesso e as conquistas de seus ex-alunos, o prazer de poder acompanhar o crescimento e desenvolvimento deles. A professora também acredita na capacidade do ser humano e defende que todos podem aprender. E todos esses anos de trabalho, amor e dedicação pelo que faz, fizeram com que a professora Eli conquistasse o respeito, admiração e o reconhecimento da comunidade não-me-toquense.

Além de professora também é filha, esposa, mãe, avó. Ama e respeita sua família, na qual busca apoio para seu dia a dia.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat