1 de novembro de 2018

Renegociação de débitos bancários

Vários são os fatores que levam pessoas e empresas a recorrer aos empréstimos bancários. O atual cenário econômico brasileiro, todos sabem, é de crise, juros altos, inflação, desemprego e corrupção.

Em momentos como o que estamos atravessando, é comum o aumento da inadimplência de dívidas, em especial junto às instituições bancárias. Da mesma forma que afeta a sociedade em geral, a crise interfere também nas instituições financeiras que, para recuperação de passivos, normalmente oferecem maior abertura para renegociação de débitos, por vezes concedendo descontos e parcelamentos muito atrativos.

A busca pela renegociação de débitos é uma alternativa interessante em qualquer tipo de contrato bancário, especialmente de cartão de crédito e cheque especial, em que incidem as maiores taxas de juros do mercado, provocando uma verdadeira situação de superendividamento e inviabilizando a recuperação financeira do devedor. Em alguns casos, é preciso estudar a viabilidade de pleitear a revisão judicial dos encargos.

O planejamento, a aplicação de técnicas adequadas de negociação e o conhecimento sobre os caminhos corretos a serem seguidos podem ser determinantes para que a renegociação seja realmente vantajosa.

Além disso, é imprescindível ler e entender bem tudo o que assina, para evitar problemas futuros, já que os contratos, muitas vezes, contemplam termos e cláusulas incompreensíveis para o cidadão comum.

Por isso é que uma boa estratégia é buscar o auxílio de um advogado experiente e de confiança para analisar os contratos, identificar cobranças ou cláusulas abusivas e, de forma técnica e profissional, montar um planejamento realista, de acordo com as possibilidades do cliente, para dar início às negociações.

Deve-se ter em mente que um acordo feito sem a compreensão e acompanhamento adequados, ao invés de solução, pode representar novas preocupações e dívidas ainda maiores no futuro, já que, não raras vezes, são embutidas cobranças ou cláusulas abusivas. Com essa tática de evitar decisões e negociações precipitadas, o devedor geralmente consegue atingir um bom ponto de equilíbrio.

Como se vê, é possível renegociar dívidas com desconto obtendo condições favoráveis. Se você, pessoa física ou jurídica, tem a intenção de buscar a renegociação de um débito, faça um planejamento realista, consulte um profissional de sua confiança e utilize a seu favor o fato de que, com o cenário financeiro atual, as instituições financeiras estão mais propensas a facilitar as negociações.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat