2 de maio de 2019

Silvia Trentin conquistou seu doutorado em outra cidade para a realização de um propósito

Cada pessoa é movida por um sonho, um propósito e esse propósito pode levá-la a lugares nunca imaginados, a viver experiências enriquecedoras e que transformam a sua vida. Foi movida pelo desejo de aprofundar os seus conhecimentos e viver novas experiências que Silvia Trentin Gomes deixou Não-Me-Toque e mudou-se para São Paulo, em 2012.

Silvia formou-se em artes visuais, na Universidade de Passo Fundo, e por um tempo trabalhou como docente nos cursos de Artes Visuais, Pedagogia, Design de Moda e Design Gráfico da UPF, no Colégio Sinodal Sete de Setembro, no Colégio Carlos Gomes e no seu Ateliê Contraste Artes. “Sempre gostei muito da nossa cidade natal e, desde a adolescência, quando muitos colegas diziam que queriam se formar e sair da cidade, eu era entre a minoria que dizia que não queria jamais deixá-la. Quando morava em Não-Me-Toque, vivi experiências incríveis, realizei com os alunos alguns trabalhos artísticos nas avenidas, na praça central do Município e no Lar do Idoso. Todos os projetos sempre com o intuito de, por meio da arte, estimular a cognição, trabalhar as emoções, valorizar a expressão dos alunos e despertar a curiosidade para conhecer nossa realidade local, desenvolver a imaginação e estimular a interação social entre diferentes grupos sociais”, lembra Silvia.

Conforme convivia com os alunos, Silvia alimentava a vontade de estimular o pensamento crítico e ampliar a visão deles. Isso fez com que ela tivesse o desejo de aprofundar seus conhecimentos e realizar uma especialização. No entanto, nem na região, nem no estado tinha, na época, um curso que envolvesse o estudo de jogos digitais e arte. Assim, após o convite de trabalho para seu marido e devido o seu desejo de buscar aperfeiçoamento em termos tecnológicos, Silvia foi morar em São Paulo.

A chegada à nova cidade foi desafiadora. Logo de cara Silvia percebeu uma grande diferença cultural e o casal precisou se adaptar e, principalmente, aprender a conviver com a saudade de casa, da família e dos amigos. Mas, ao mesmo tempo, Silvia se empolgava com as expectativas profissionais para realizar seu sonho e em seguida seu propósito de buscar o conhecimento científico, para comprovar como o estímulo às Artes influenciam positivamente no desenvolvimento do ser para seu equilíbrio entre a realidade e a fantasia, para enxergar o mundo além do óbvio ao elaborar alternativas para os problemas.

Desde que se mudou para São Paulo, Silvia se dividiu entre o mestrado, depois o doutorado, família e aulas no seu ateliê de arte. A doutora e mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital, pela PUC/SP, escolheu essa área de estudo pois acredita que possa fazer grande diferença na vida das pessoas. “O que me levou a busca pelo conhecimento foi a necessidade de investigar tecnologias e metodologias que pudessem auxiliar o desenvolvimento cognitivo dos alunos de maneira a trabalhar com uma educação estética que privilegie o emocional juntamente com o racional. Além de pesquisar alternativas que envolvam os estudantes de maneira divertida para que sintam a necessidade de entender o nosso tempo, nossos dilemas e nossos desafios expressando suas opiniões e planejando ações para mudanças dentro dos cenários existentes.”

A concretização do doutorado foi uma grande conquista para Silvia, principalmente porque sua pesquisa teve reconhecimento das reflexões e ações concretas possíveis no ensino. Para a conclusão do doutorado, ela criou um jogo de cartas personalizado para atender às necessidades de diferentes contextos educacionais que desejam trabalhar a imaginação, atividade criativa e a curiosidade dos aprendizes/jogadores.

Foi o sonho de se especializar que levou Sílvia para longe de sua cidade natal, mas ela afirma que ainda sente muito orgulho de sua cidade. “Tenho recordações dos bons momentos vividos, saudosos e inesquecíveis que os alunos, os amigos, colegas, familiares, as pessoas e os acontecimentos ali vividos deixaram em mim. É uma cidade da qual falo com muito orgulho de suas características e do povo acolhedor. Sinto saudades da água potável vinda direta da torneira e do ar puro. Saudades da rapidez em conseguir ir a vários locais em um mesmo período do dia. Portanto, acredito que  independente do lugar onde estamos, quando o propósito de vida existe não para nos vangloriarmos e sim que seja importante para você e para os outros, que ele tenha um sentido, um significado que é relevante na medida em que nos movemos para contribuir na melhora do todo, é o que te dá determinação para não desistir e persistir sempre.”, finaliza Silvia.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat