20 de março de 2019

Silviane Arruda Estery, espiritualidade e autoconhecimento na gestão da vida

As mudanças na vida de uma mulher começam a partir do momento em que ela se conhece e descobre o que realmente deseja. Silviane Arruda Estery passou por esse momento de se redescobrir e se encontrar em um trabalho e um estilo de vida diferente.

Formada em direito e pós-graduada em Processo Civil, Silviane atuou na empresa da família desde 1992, mas foi em 2014 que assumiu a gestão da empresa e se reinventou como mulher e profissional. “Foi um caminho construído. Levei dois anos até ter certeza de que esse era o meu desejo. Embora meu pai manifestasse o interesse para que eu assumisse há mais tempo, eu tinha meu escritório, no qual também desempenhava minhas atividades. Dividia meu tempo entre empresa e escritório. O meu maior desafio foi antes da tomada de decisão, quando vieram os questionamentos, as dúvidas, os conflitos internos, quem eu sou, o que eu quero, o que eu gosto. Quando tomei a decisão tudo ficou muito claro. Era aquilo mesmo, então decidi  assumir a Roster com o apoio e carinho de todos os meus familiares”.

A partir desse momento muitas coisas mudaram na vida de Silviane. Na vida profissional ela precisou aprender muita coisa e se preparar para essa nova fase. O processo de sucessão familiar foi natural e cheio de aprendizados, erros e acertos, mas sempre com muito amor em tudo que era realizado.

Foi quando tornou-se diretora da empresa Roster que Silviane também realizou algumas mudanças em sua vida pessoal. A fim de estar bem preparada para assumir uma empresa tão importante, ela decidiu se autoconhecer e explorar a sua espiritualidade. “Sempre tive espiritualidade, sempre questionei, sempre busquei informações sobre esse assunto. Passei pelo CLJ na adolescência e foi um momento incrível. Nesses últimos anos esse meu lado foi intensificado na nova fase da minha vida. Os momentos de depressão, ansiedade, estresse, tanto minha como de familiares, me fizeram buscar respostas para meus anseios, ou para os questionamentos que me ocorriam, como por exemplo: por que viver isto ou aquilo? Por que ter que decidir em contratar ou demitir? E foi assim que a espiritualidade se ampliou à medida que o desafio emocional se agravava. Foi uma escolha: lamentava, julgava, criticava e adoecia ou me autoconhecia e abria a mente para o novo e desconhecido. E foi o que fiz: buscando o alinhamento entre corpo, mente e espírito”, conta Silviane.

Para alcançar essa plenitude, a empresária afirma que experimentou várias ferramentas, cada uma com seu valor. Ela buscou conhecer novas possibilidades, como terapia holística, reiki, meditação, ho’oponopono, grabovoi, técnica hertz, ressonância harmônica, medicina ayahuasca, seminários, palestras, cursos, retiros, constelação familiar, biodanza. Todos com o objetivo: a sua evolução pessoal e o seu autoconhecimento.

Essa busca pela evolução humana e espiritual mudaram por completo a vida de Silviane, tanto no seu trabalho, onde sua motivação passou a ser o desafio de ter o negócio e nele encontrar maneiras criativas e estratégicas para se manter no mercado, obter lucro e gerar empregos, quanto na sua vida pessoal, a qual ganhou mais equilíbrio, energia e amor. “Me tornei um ser vibracional. Acredito que todos os que vivem e dependem da minha energia, da minha vibração, da minha saúde, têm benefícios com o meu bem-estar. Para alguns, talvez soe um tanto egoísta essa afirmação, mas sinceramente, volto ao princípio básico da responsabilidade por tudo o que ocorre na minha vida e da decisão do amor próprio,” explica a empresária.

Silviane se empoderou a partir do momento que buscou se conhecer. E ela acredita que para as mulheres superarem os desafios e os paradigmas sociais é preciso o autoconhecimento, a valorização própria e a união entre as mulheres para que juntas possam construir uma sociedade melhor.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat