3 de janeiro de 2020

Vamos falar sobre “gorduras localizadas”?

Atividade física e alimentação equilibrada são extremamente benéficas à saúde e devem ser realizadas durante todo o ano! Mas a proximidade do verão traz consigo um aumento da preocupação com o corpo. Se esses cuidados não estão sendo suficientes para que você alcance o resultado desejado, calma! Isso não significa que você esteja cuidando do seu corpo de forma errada. Algumas pessoas têm tendência a acumular gordura, mesmo quando estão na faixa de peso normal. Nesses casos, a Cirurgia Plástica é uma ótima alternativa para conquistar o corpo em melhor forma.

A cirurgia de lipoaspiração é realizada para definir o contorno do abdome, costas, coxas, braços, quadris e culotes através da remoção de gordura nas regiões de acúmulo – os teimosos “pneuzinhos”. Já a lipoescultura consiste em enxertar essa mesma gordura retirada em locais onde há pouco volume, como nos glúteos, por exemplo. Esses procedimentos são recomendados para pacientes com excesso de tecido adiposo, porém com pouca flacidez de pele. Em geral, as cicatrizes são bem pequenas e medem cerca de meio centímetro.

Por sua vez, a abdominoplastia é indicada para pacientes com redundância de pele na região – o que geralmente ocorre com mulheres que já passaram por gestações ou pessoas que perderam muito peso. Nessa cirurgia, a musculatura do abdome é reaproximada, devolvendo mais firmeza no local e promovendo um melhor contorno corporal. A cicatriz resultante é maior, mas na maioria dos casos fica escondida pelas roupas de banho.

Caso a retirada de gordura seja muito significativa, ainda pode ser indicada a cirurgia combinada: a lipoabdominoplastia. Assim, além da retirada da gordura localizada, o excesso de pele é removido, proporcionando um melhor resultado.

Essas cirurgias podem ser feitas com anestesia geral, peridural ou raquianestesia, e no caso de lipoaspiração de regiões pequenas, até mesmo com anestesia local – a chamada “hidrolipo”. Após o procedimento, a paciente geralmente fica internada por uma noite, recebendo alta no dia seguinte conforme a melhora. Após, é importante seguir os cuidados de usar a malha elástica, realizar drenagens linfáticas e respeitar o período de repouso.

Independente da escolha da paciente é estritamente necessário se consultar com um cirurgião plástico de confiança e seguir as recomendações do pré e pós-operatório, para obter resultados satisfatórios! Ao contrário do que muitos pacientes imaginam, essas técnicas não emagrecem. O que acontece é a redução do volume de gordura e/ou pele, relativamente sem impacto sobre os quilos. Por isso, a paciente deve estar ciente de que o melhor resultado é atingido se a pessoa estiver com o peso e com o índice de massa corporal ideais antes da cirurgia. E lembre-se: toda cirurgia realizada em ambiente hospitalar é mais segura.

 *Texto escrito pela Cirurgiã Plástica Mariana Hartmann.

Deixe seu comentário
WhatsApp chat